Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

pai João e mãe Sofia

pai João e mãe Sofia

Costumo dizer que é mais independente...

... mas é só fogo de vista. Parece... mas não é.

  

Na realidade, só dorme sestas de jeito cá em casa, caso esteja ao colo ou se eu me deitar com ele na cama. Continua a acordar mil vezes durante a noite para mamar, para me rever, para me sentir e eu, entretanto, já me habituei a conduzir de mão dada com ele.

   

Sempre foi assim desde os primeiros dias. Era capaz de estar a dormir tranquilamente no meio de uma grande confusão, mas se por acaso o deixássemos sozinho numa divisão da casa, acordava logo e barafustava por companhia.

     

Nas útltimas semanas ganhou uma alergia ao chão e sempre que o sentamos para ele brincar (e eu não sei ao certo quanto é que ele já pesa... mas já é muito, de certeza) chora muito ofendido. 

   

Mais do que a companhia, o que o define mesmo é o contacto físico.

Pela-se por festinhas nos braços, nas pernas, nas palmas das mãos (acho que é o meu sítio preferido), na cabeça... e corresponde com festinhas dele também os nossos braços. Também gosta de nos agarrar os dedos e ir apertando suavemente.  

      

Quando está ao colo, enrosca-se todo no nosso corpo e até deita a cabeça no nosso ombro para ficar mais confortável. Adora esborrachar a cabeça dele na minha (bochecha com bochecha) e assim que me deito com ele cola-se ao meu corpo.

    

É um miminho este mini-filho.