Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pai João e mãe Sofia

pai João e mãe Sofia

1 ano de ti

        
Acho que a boa-disposição é o que mais sobressai em ti.
      
De sorriso fácil e gargalhada sempre pronta derretes o coração de qualquer um. Acabas com qualquer pontinha de tristeza, fazes das nossas caras sérias um fanico.
   
E a calma.  
És um bebé sossegado. Sempre foste. Sem grandes choradeiras, sem  alvoroços em casa ou fora dela. À excepção do fim do dia nas primeiras semanas, nunca foste um  bebé chorão. E mesmo que chorasses sem razão aparente, uma maminha resolvia sempre o problema. :)
 
Talvez por isso, levamos-te connosco para todo o lado. Passeios, almoços, jantares, férias, compras, casamentos... :) Já cheguei a ir sozinha contigo à depilação e ao laboratório fazer análises. Sim, já te segurei num braço com cantigas e conversas, enquanto a analista tirou sangue do outro. És assim, muito cooperante.
     
És um bebé cheio de mimo.
Os beijinhos lambuzados que dás e exiges, os abraços que te pedimos e ofereces, os miminhos em que te aninhas no nosso colo... deixam-nos sem fôlego de tanto amor.
Adoras colo, a nossa atenção, as brincadeiras partilhadas connosco, o nosso dedo como apoio aos teus passeios cá por casa. 
E ainda me olhas com o olhar de "és a minha deusa". E angustia-me a chegada do dia em que já não me vais dessa forma.
     
És fácil de levar, de convencer, de distrair. Entre conversas, canções e objectos interessantes tudo se resolve. E apesar de já teres feito as tuas birrinhas de teimosia ou insatisfação por não te deixarmos fazer algo, tudo foi ultrapassado em segundos, sem dramas, sem muitas lágrimas.
    
Tens uma paixão assolapada pelo teu ó-ó. Se te deixassemos, andarias o dia todo agarrado a ele. É mais precioso que qualquer chucha.
Gostas muito de música. Assim que a ouves, a tua expressão muda logo e começas a dançar.
Também gostas muito de cães, de gatos, de telemóveis e comandos, de livros, do Noddy...
     
És curioso e muito observador.
Preferes descobrir os objectos que vivem cá em casa do que brincar com os teus brinquedos. Às vezes é possível, outras coisas estão só reservadas aos pais. Os bebés não podem mexer...
      
Gostas de rotinas. De saber o que vem a seguir. Apanhas todos os pormenores de uma rotina num instante.
Sabes que ao almoço não há televisão, mas que ao jantar há o Noddy. Sabes que depois do banho vem o jantar. Sabes que assim que a música da noite começa a tocar, vem aí uma maminha. Sabes que depois de uma maminha, vem sempre outra.
     
E és um brincalhão.
Metes-te connosco, puxas brincadeiras, repetes vezes sem conta um jogo que fazemos contigo uma ou duas vezes. E ris a bom rir com... quase qualquer coisa.
     
Enches os nossos dias, as nossas vidas.
      
Filhote, foram os 12 meses mais importantes das nossas vidas.
     
Muitos parabéns!!
          

Quase como a começar uma tradição...

... fomos almoçar às Docas. Exactamente como há um ano atrás.
    
Bem, com algumas diferenças...
    
Hoje eu não estava a morrer de calor nem incomodada com as contracções.
     
Hoje, em vez de ter apenas os calcanhares do filhote às voltas na minha barriga, tivemos os seus  sorrisos, as suas brincadeiras e as suas conversas.
          

No ano passado, a esta hora...

... as contracções já se sentiam  de 7 em 7 minutos.
       
Tinha ido ver as marchas de Lisboa na noite anterior e no dia de Santo António fui almoçar com o pai João, o meu pai e a Ginja às Docas, em Alcântara.
Depois do almoço, devagar e ao ritmo das minhas contracções ainda muito irregulares, caminhámos desde as Docas até ao Padrão dos Descobrimentos em Belém. E fizemos o caminho inverso.
    
Quando cheguei a casa, o ritmo regulou e às 18h30 já eu estava, de relógio em punho, a cronometrá-las.
    
Por volta das 20h fomos à Maternidade.
Sim, estava em trabalho de parto. Não, não ia ser rápido.
A coisa estava para durar. O melhor era ir até casa, lá estaria mais descansada, mais à vontade. A ordem era voltar assim que as águas rebentassem ou quando as contracções fossem menos espaçadas.
     
Durou muito tempo!
Durou toda a noite e quase todo o dia seguinte. Sempre com contracções regulares cada vez menos espaçadas.
     
Amanhã é o grande dia!! O filhote faz 1 ano!
  
Os 365 dias mais felizes das nossas vidas.
       

Bocadinhos da nossa casa

Entregámo-nos a esta nossa casa de corpo e alma. 
Principalmente, de corpo. Lavámos, lixámos, estucámos, pintámos, arrancámos rodapés, colocámos novos, remodelámos cozinha e casas de banho... Tudo sozinhos, à excepção do chão e de uma das casas de banho.
Enfim, fizemos desta casa, com vinte anos maltratados, o nosso palácio.
        
        
Quando a Ginja veio morar connosco começámos a sentir a falta de um quintal ou um terraço. Para ela e, sejamos sinceros, para nós. Gostamos do ar livre e o pai João adora as suas bricolages e os seus hobbies.
Depois fiquei grávida e sempre que pensávamos no nosso feijão voltávamos e desejar um espaço onde ele pudesse crescer em contacto com a Natureza, brincar, descobrir... Poder brincar na rua com os amigos sem ser no meio dos carros, com medo das estradas.
  
Há uns meses surgiu a oportunidade e as estrelas conjugaram-se para permitir que o sonho de morar numa casa com um espaço exterior se concretizasse.
      
Por isso, e apesar de adorarmos a nossa casa, a nossa primeira casa, vamos mudar-nos.
Com nostalgia e saudade, com alguma ansiedade, mas com um grande entusiasmo na nova vida que nos espera.
          

Ainda do Feriado de 5ª feira

Não gostou da areia, é um facto.
   
Mas adorou o piquenique no pinhal (tantos pauzinhos e pinhas para apanhar) e as fotos que (só) vi hoje mostram como foram apreciadas as brincadeiras com a pequena C. na relva da casa da tia C.
     
               

A 1ª Feira do Livro

 
Entre o colo de uns e de outros e o passeio de carrinho, até deu para fazer umas leituras rápidas de livros infantis em alguns stands e umas pinturas no espaço para os mais pequeninos
     
O filhote, rapazola cheio de sorte, enfeirou um Hipo-Pipo para o banho, da mesma colecção destes, dois livros de esponja sobre números e formas e um livro sobre animais da quinta com animais magnéticos para brincar.
Esperam-nos agora muitos momentos de leituras e brincadeiras!
     
Mais importante que tudo, foi a nossa tarde de passeio com os avós, repartida entre a Feira do Livro e as brincadeiras no Parque da Serafina.
                      

Já anda!!

      
Aos 11 meses, 3 semanas e 5 dias, o filhote começa assim a andar!
     
Já dava uns passinhos sozinho, é certo. Mas hoje, de livre e espontânea vontade, começou a fazer as suas primeiras caminhadas! 
       
Sozinho (sempre com mãos de papá ou mamã por perto, não vá o Diabo tecê-las), de braços abertos para ganhar equilíbrio e com uma segurança que não lhe conhecíamos ontem.
   
Que grande conquista, esta!! Nós estamos tão babados a olhar para ele!