Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

pai João e mãe Sofia

pai João e mãe Sofia

Breves dos 2 anos

Descobriu que se pedir água quando já está deitado na cama, consegue adiar o sono mais uns momentos.

   

O ritual de ir para a cama também tem sido mais complicado (viva o retorno da ansiedade de separação) e já aconteceu ter de o adormecer ao meu colo (ui, que sacrifício!).

   

Ontem foi dia de pediatra.

Assim que nos aproximámos da porta deixou logo claro que não queria o dotô. Não se deixou enganar pelos brinquedos na sala de espera e foi repetindo incansavelmente o quão mau é o dotô.

Entre as nossas afirmações sobre a bondade do senhor (o doutor é fixe, filhote, é bonzinho!) lá fomos chamados e, acho que pela primeira vez, não levei uma lista de dúvidas. O miúdo diz tudo, conversa, canta, come sólidos muito bem, vai de vento em popa no desfralde, raramente há birras... não podemos pedir muito mais.

Saímos contentes (o cachopo mais do que nós) com um filhote com nota máxima e um percentil 50 em tudo (onde está o nosso pequenote dos 10 e dos 25?).

       

Ah, e a recomendação de ser vacinado contra a hepatite A, uma vez que, apesar de ser raríssimo estar doente, já demonstrou cientificamente a sua apetência para apanhar coisas raras e esquisitas.

      

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.