Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

pai João e mãe Sofia

pai João e mãe Sofia

Contagem decrescente

Começo a trabalhar para a semana. Quinta-feira.
  
Começámos por isso a preparar o filhote (e o pai João, que vai ficar com ele 15 dias) para as manhãs sem a mamã e sem a maminha da mamã por perto. Combinámos experimentar o biberão hoje (feriado) e no fim-de-semana, enquanto ainda estou por aqui e há alternativa ao biberão, em último caso.
  
O pai João portou-se muito bem! Foi um super pai que acarinhou e confortou o filhote, insistiu vezes sem conta até o filhote pegar no biberão, embalou-o para o acalmar, voltou a insitir e até passeou os quase 7 Kg de bebé num braço enquanto dava o leite com a mão que estava livre.
  
Já eu e o filhote não nos portámos tão bem, uma vez que chorámos como se não houvesse amanhã. Ele, cheio de fome com a tetina do biberão à frente mas sem perceber onde estava a maminha, com o sabor do leite na boca mas sem saber o que havia de fazer. Lá acabou por beber 100 ml aos bocadinhos. Eu, sentada na outra ponta do quarto (achámos melhor eu não interferir em nada para que perceba que com a mãe há maminha e sem a mãe há biberão) assim que o vi a espernear cheio de fome e com o leite à frente desatei a chorar.
  
Foi sem dúvida por vê-lo aflito, mas principalmente porque a realidade de ter de me separar dele, de não estar lá para o consolar, me atingiu em cheio. A contagem decrescente até ao dia de ir trabalhar começou...
 
Resta dizer que passei o resto do dia tristíssima... E agarrada ao filhote que nem uma lapa.
 

3 comentários

Comentar post