Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pai João e mãe Sofia

pai João e mãe Sofia

03
Jun17

Novas tecnologias

mãe Sofia

Marcar o dia em que, atrasados para levar o filho crescido para um concerto de final de ano, enquanto conduzo, lhe passo o telemóvel para a mão com um vídeo do youtube e ele... e aprende a fazer sozinho o nó da sua própria gravata.

20
Mar17

Quando um projeto de ciências nos ensina mais qualquer coisa

mãe Sofia

O mais crescido fez, para um concurso da escola, um projeto de ciências megalómano que envolvia plantas, terra com minhocas, um garrafão, água e peixes. Sim, dois peixes de água fria. Vivinhos da silva.

O projeto foi para a escola. O projeto voltou da escola na sexta-feira.

Saímos do edifício, entramos no carro e acomodo o garrafão (plantas, minhocas, água e peixes) entre os pés do crescido, sentado mesmo ao meu lado. Faz força com os pés e com as pernas para isso não se virar com as curvas.

  

Dois minutos depois, travo numa descida e plofffff... Tudo despejado. Litros de água, pedrinhas de aquário e um dos peixes a arfar no tapete do carro. Travão de mão, saio do carro e dou a volta para chegar ao desastre.

O crescido, estático, mãos no ar, Ahhhhhhhhhh!!!!!!!!

Eu, aflita, a combater o nojo de pegar no peixe, o peixe a escorregar-me por entre os dedos e a estatelar-se de novo no chão do carro.

O crescido, estático, mãos no ar, Ahhhhhhhhhh!!!!!!!!

A voltar a pegar-lhe e a, literalmente, atirá-lo para dentro do garrafão. 1 cm de altura de água no garrafão e o outro peixe lá encolhido, num cantinho, a tentar respirar.

O crescido, estático, mãos no ar, Ahhhhhhhhhh!!!!!!!!

Dou voltas ao cérebro. Pensa, Sofia. Pensa, Sofia.

Tens água na mochila?   

Para a gritaria. Sim, tenho. Corro para a mala do carro. Não, afinal não tenho. Buáááááááááááá! Larga num pranto. Desistiu.

   

Berro-lhe, mesmo cá de dentro. Para de chorar, já!! É altura de pensar, não é de chorar! Para!  

Dou voltas ao cérebro. Pensa, Sofia. Pensa, Sofia.

Ao fundo reparo numa bomba de gasolina. Deixo o carro a trabalhar e a criança fora do carro, com metade do garrafão com terra e minhocas e plantas na mão.

Corri e salvei os peixes com água da mangueira da bomba de gasolina. Com a ajuda de um senhor.

            

Entrámos no carro. O miúdo branco, eu com o coração a mil. 

Lição de vida para o cachopo: em situação de crise, não se chora, não se desiste. Pensa-se e arranjam-se soluções.

       

E os peixes continuam vivos até hoje!

    

20
Mar17

A mãe tem de aprender a relativizar

mãe Sofia

Ontem à noite, coisa única e rara, o crescido queixou-se. Amanhã não quero ir à escola... Por favor... Detesto aquela aula de HGP! Vá lá, mãe, não quero ir...

Conversei, relativizei, confortei. Ouvi e fiz ver que, perante todas as coisas boas que iam acontecer durante o dia, aquela aula de HGP era uma migalha.

   

Mas... como sou mariquinhas pé-de-salsa, a coisa ficou a moer-me. Seria mesmo pouca vontade de ter aquela aula? Seria outra coisa? Estaria desconfortável com alguma coisa? Com alguém? As cabeças das mães não param nunca...

À hora do almoço, mandei-lhe uma mensagem fofinha. Duas horas depois, outra. Uma hora depois tenho uma resposta.

    

Screenshot_2017-03-20-17-14-15.png

            

05
Mar17

O que cabe num fim de semana?

mãe Sofia

IMG_20170307_210948.jpg

    

A festa de aniversário de uma amiga do crescido num ginásio. A festa de aniversário do afilhadão mais pequenito no Porto (sim, fomos e viemos, 600km em meia dúzia de horas, e valeu taaaanto a pena!). Os trabalhos de casa vezes dois filhos. Um jogo de futsal do crescido. Um jogo de futebol do mini. Uma sessão de estudo de matemática com o crescido no café do "estádio" onde o mini jogou. A festa de aniversário do sobrinho do coração, jantar incluído (yeahhhh).

       

Estamos derreadinhos. Mas tão contentinhos!

      

04
Mar17

Fotografia em palavras

mãe Sofia

São duas da manhã, estamos os três - eu e os miúdos - a sorrir no espelho do elevador. 

     

Viemos do jantar de aniversário do Martim. Comida, conversas, gargalhadas, desabafos e exemplos de vida com uma família que vai sendo também um pouco nossa. Os miúdos conversaram, jogaram PlayStation e tablet, jogaram xadrez. Os mais novos já dormiam, o afilhado na cama, o mini no sofá da sala, enrolado numa manta que foi buscar quando sentiu o sono a chegar. Recebemos um convite de casamento inesperado. Estivemos com amigos-família e temos o coração cheio.

    

12 anos de sobrinho do coração. E às duas da manhã, estacionei o carro muito longe da porta de casa. Os dois filhos adormecidos e choviam gatos e cães. Acordei o crescido e pus-lhe um chapéu de chuva na mão. Saiu do carro e seguiu pelo passeio, vários passos dados no sentido contrário da porta do prédio, até se ter dado conta do erro e dado meia-volta. O mini pendurado em mim. Braços e pernas apertados à volta do meu corpo, que as minhas mãos estão ocupadas com malas, sacos e o chapéu de chuva. 

    

Estamos os três, às duas da manhã, a sorrir no espelho de elevador. Tantos andares para cima. Apanhámos o ar fresco da noite e uns pingos rebeldes na cara. Estamos cansados, mas acordados. Estamos felizes e rimos os três porque temos a sorte de ter estado com amigos-família. Temos o pai a trabalhar e a voltar dali a pouco, a cadela a passar o fim de semana nos avós, mas temos a fortuna de nos termos uns aos outros. E sorrimos. E como é tarde e estamos para lá de cansados, dizemos disparates. E como dizemos disparates, rimos no elevador e fazemos chiu porque são duas da manhã. 

    

E quando os meus olhos batem no espelho do elevador, levo a mão ao bolso para pegar no telemóvel e tirar uma fotografia. Porque são duas da manhã, mas temos energia para rir e para estarmos bem-dispostos. Só que percebo que a imagem que vai ficar gravada, apesar de sermos nós a sorrirmos, não vai traduzir de maneira nenhuma o nosso estado de espírito. O meu, na verdade, que sou eu que quero agarrar este momento.

   

Largo o telemóvel, inspiro fundo e tiro uma fotografia com os olhos e com o coração. Estas mil palavras valem mais do que uma simples imagem.

    

     

 

28
Fev17

Carnaval

mãe Sofia

2017-03-01_14.51.41.jpg

Um judoca e um caçador de Pokemons. Uma cadela todo-o-terreno.

Uma tarde de passeio com direito a desfile, com reis de Carnaval e tudo. Estreia para todos.

    

(O mini já na sexta-feira tinha ido para a escola de judoca. O crescido não quis ir mascarado, diz que no 5º ano já não se fazem dessas coisas. Entretanto, ontem à noite, perante a minha insistência "Já escolheste do que te vais vestir amanhã? Olha que amanhã é mesmo Carnaval!", decidiu que, em vez de um dos mil fatos disponíveis que temos em casa, queria compôr o seu próprio cenário de caçador do Pokemons. Então lá estivemos nós a fazer bolas de Pokemon, GPS e acessórios vários. Ficou o máximo! Mas do que eu gostei mais foi da originalidade e da proatividade em fazer uma coisa pensada e construída de raiz.)

 

 

Lilypie Kids Birthday tickers
Lilypie Kids Birthday tickers

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D