Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pai João e mãe Sofia

pai João e mãe Sofia

28
Nov08

Recomposto

mãe Sofia

Apanhámos fresquinho na cara e na alma, demos uma volta pelas lojas, vimos os patos a nadar e terminámos a manhã na biblioteca cá do sítio.

Muitos livros, muitos puzzles e muitas bibliotecárias em êxtase com o cachopo. Acho que não costumam passar por lá muitos miúdos...

          

Almoçou sem fitas e agora, que chove como se não houvesse amanhã, dorme...

(Tenho um palpite que vai acordar com febre...)

  

E eu vou só ali imitá-lo um bocadinho e retemperar as energias gastas a contornar as birras da manhã.

      

28
Nov08

Hoje tenho companhia

mãe Sofia

Saiu da cama às 7, mas às 6 da manhã gritava acordei! já dumí tudo!!

  

Às 7 e um quarto já tinhamos lido dois livros do Noddy, um da Carochinha e outro sobre ursos.

   

Às 7 e meia, o pai João saiu e ele já tinha feito a primeira birra do dia com o pequeno-almoço.

    

São 10 e tem passado o tempo todo a chorar... porque sim.

  

       

O dia promete, não promete?

Acho que nos vamos vestir e dar uma volta na vila para afugentar os maus espíritos.  

           

27
Nov08

37 semanas

mãe Sofia

Há duas ou três semanas tinha algumas dúvidas de chegar até aqui. Agora, à medida que os dias de calma se vão sucedendo sinto cada vez menos contracções e o mini-filhote cada vez mais enroscadinho cá dentro.

 

E gosto.

   

Vou abrindo as gavetas cheias de mini-roupa cheirosa (muita dela com recordações dos primeiros tempos do primeiro filhote), vou refazendo a mala da maternidade, vou-me deliciando a ver as fotografias dos primeiros dias do filhote e penso como será desta vez. A quatro.

Com o benefício da experiência já acumulada, mas com a dificuldade de gerir um recém-nascido e um recém-irmão. 

    

Não lhe imagino as feições, tal como nunca imaginei as do filhote.

Desta vez há porém uma diferença: o desejo (romântico, eu sei) de que seja muito parecido com o mano.

   

26
Nov08

Intermitentes

mãe Sofia

Não sabemos de onde virá a febre que ora aparece ora desaparece. Não é muito alta, mas é febre e, entre outras coisas, alterou-lhe o apetite. Umas vezes come tudo e mais alguma coisa, noutras nada entra.

Esta noite, no meio dos terrores nocturnos, dei comigo a fazer-lhe um prato de papa às 3 e tal da manhã. Tinha jantado bem, mas devorou-o num ápice e acabaram-se-lhe os pesadelos na hora.

Serve de treino para os próximos meses...

   

Depois há as dores que vão variando o sítio e se num minuto diz que dói, no outro já não dói nem nunca doeu... No fim-de-semana queixou-se da cabeça, ontem gemeu de um ouvido e hoje foi a vez da barriga. 

       

Tudo isto acrescido à fase natural dos dois anos, mais ainda à expectativa do mano que há-de nascer, dá uma mistura explosiva nas reacções dele. Há dias em que é o filho que sempre conhecemos, noutros não conhece limites e tudo se passa numa sucessão de birras, umas atrás das outras, sem descanso.

   

Estamos à espera de melhores dias. Mais saudáveis, pelo menos.

     

24
Nov08

Weekend mix

mãe Sofia

Sexta foi dia de consulta no hospital. O mini-filhote completamente louco com o CTG (não sei se do aperto, se dos ultra-sons, se da invasão de privacidade...) e a notícia de já haver permeabilidade e dois dedos de dilatação.

Mini-filhote, quando quiseres... a mãe agradece!

Aproveitei a ida e fiz uma ronda à segurança social, ao IKEA, às últimas prendas de Natal, aos cappuccinos que me continuam a saber a Londres, à escolinha para recolher o filhote e uma visita ao bebé mais giro que nasceu na semana passada.

Em casa antes das 17h, para escapar às calamidades simuladas, estranhei-lhe o sono e a impaciência. Estava(mos) de rastos e às 20h já ele dormia depois do jantar (possível) de sopa e fruta.

É claro que antes da 1 da manhã ardia em febre e dormiu toda a noite na nossa cama.

     

Sábado, sozinha com o(s) filhote(s) todo o dia, houve febre e muitas sessões de aerossóis.

Alguma ranhoca e uma tosse cavernosa, muito colo, muita moleza e muitas acrobacias para evitar as 785 birras que surgiram por tudo e por nada. Lá se evitou a maior parte, mas mesmo assim... choro, muito choro.

A recompensa do dia: peça de teatro à noite. Assim, de surpresa e com um pai João em casa a velar o sono do cachopo.  

       

O domingo começou às 6.18 da manhã com um filhote a querer lanchar! Depois de inúmeras tentativas de adiar a coisa, lá fomos para a cozinha e ele passou os 20 minutos seguintes a chorar e a espernear na sala porque... afinal não queria comer, preferia voltar para o quarto e brincar com os brinquedos.

A coisa lá se recompôs e, depois de grandes arrumações no escritório e nos quartos, fomos almoçar e passar o resto do dia em casa de amigos.

Mal comeu, mas a febre deu descanso e ele brincou com a Matilde a tarde toda (que mimosos!!). Viemos embora quase à hora de jantar e houve amuos na hora dos miúdos se despedirem.

     

 

Para variar, acabei o fim-de-semana com a sensação de que trabalhei na estiva dois dias seguidos.

Hoje está instaurado o dia-pijama.

      

21
Nov08

Ora aqui vai!

mãe Sofia

Bolachas

250 gr de farinha

75 gr de açúcar

1 ovo

2 colheres de café de aroma de baunilha

 

Mistura-se tudo muito bem (arregacem as mangas e usem as mãos, que é mesmo o melhor) e depois é estender com o rolo da massa e ir cortando.

Untar uma forma e ir colocando as bolachas já cortadas.

  

As nossas ficaram prontas em 15 minutos no forno a 200º.

   

Foi muito fácil de fazer!

      

Como os ingredientes são poucos, foi ele que os juntou e mexeu.

Adorou amassar a massa com as mãos O V. tem uma mão de môstro!! Dito com voz grossa quando tirava a mão da tigela e a via toda suja com bocados de massa colados.

Depois foi só cortar as bolachas, pondo em prática a larga experiência que já tem com as formas da plasticina.

    

Aventurem-se!!

      

20
Nov08

Os primeiros vestígios do Natal

mãe Sofia

Andei a namorar as formas de bolachas com motivos natalícios durante uns dias.

Pedi ajuda num fórum para descobrir uma receita de bolachas saborosas e hoje comprei as formas a pensar meter mãos à obra no sábado. As minhas e as dele.

  

Mas assim que ele pôs os olhos nos formatos de estrela, bengala, árvore de Natal, menino de gengibre e Pai Natal e soube que serviam para fazer bolachas, não deu descanso.

  

Lavámos as mãos, arregaçámos as mangas...  et voila!

 

   

  

O Natal entrou em nossa casa!

  

  

Ficaram deliciosas!

Mesmo com as desgraças que se vão simular, alguém quer cá vir lanchar no fim-de-semana?

     

20
Nov08

Conversa de pequeno-almoço

mãe Sofia

  

 

É o coração do amor!   É da mãaaaee... Foi o pai que ofeceu.

    

Pois foi... E ofereceu porquê?

 

A mãe gosta do pai.

 

Pois gosto. E gosto de ti também. E o pai?

  

O pai gosta da mãe.

 

Pois gosta. E gosta de ti também...

  

De aufaxe não!!

 

De quê?

   

Aufaxe!

 

Quem é que não gosta de alface?

   

Eu!

   

  

Afinal, é possível mudar drasticamente o rumo de uma conversa tão séria sobre o amor entre pais e filhos.

Mesmo nos sentimentos, é tudo muito relativo, não é?

   

Pág. 1/3

Lilypie Kids Birthday tickers
Lilypie Kids Birthday tickers

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D